Octavio Brandão 1977

quarta-feira, 20 de julho de 2016

PALESTRA COM SERGIO GRANJA



     Sergio Granja militou na Ação Libertadora Nacional, o grupo brasileiro de maior expressão entre os que participaram da luta armada contra a ditadura militar, no final dos anos sessenta, dirigido por Carlos Marighella e Joaquim Câmara Ferreira, o "Toledo".  Sérgio, hoje militante das lutas dos profissionais da educação, é filho de Alírio Granja, herói da Força Expedicionária Brasileira na 2ª Guerra Mundial e major alijado do Exército, quando tentou barrar o comboio golpista de Minas.
     Sergio, ainda muito jovem, Estudante de Economia, participou da famosa ação que expropriou o carro pagador do Instituto de Previdência do Estado da Guanabara. Esta ação foi chefiada por dois famosos comandantes militares do Grupo Tático Armado da ALN, Marco Antônio Brás de Carvalho, o Marquito, e Virgílio Gomes da Silva, o Jonas, que depois participaria do comando do sequestro do embaixador norte-americano, Charles Elbrick. A ação contou com a participação de Gílson Ribeiro da Silva, o Poeta, João Leonardo da Silva Rocha (depois um dos presos soltos em troca da libertação do embaixador norte-americano), João Carlos Cavalcanti Reis, João Baptista Zeferino Salles Vanni, o casal João Antônio e Catarina Helena Abi-Eçab, o secundarista Paulo César Monteiro Bezerra e de Domingos Fernandes. Dessa famosa ação famosa da guerrilha urbana, em 1968, Marquito, Jonas, Poeta, João Leonardo, João Carlos foram assassinados pela ditadura. O casal, João Antônio e Catarina Helena Abi-Eçab, que supostamente teria morrido na explosão acidental de um veículo, mas segundo revelações feitas por um torturador, em 2013, em depoimento à Comissão da Verdade, foi vítima de sessões de torturas.
     Um dos poucos sobreviventes dessa ação, Sérgio Granja estará no Centro Cultural para contar essa e outras histórias dos anos de chumbo.

Dia 23 de julho – Sábado – 16 horas – Rua Miguel Ângelo, 120 – Maria da Graça

Nenhum comentário: